sexta-feira, 1 de maio de 2015

Experiência mostra efeito negativo imediato da 'junk food' para o corpo humano

Um experimento no qual americanos trocaram de dieta alimentar com africanos durante duas semanas revelou como a alimentação ocidental pode ser prejudicial à saúde. Os pesquisadores americanos pediram que 20 voluntários estadunidenses aderissem a uma dieta com pouca gordura e rica em fibras. Enquanto isso, 20 voluntários da região rural da África começaram a consumir mais junk food, alimentos com alto teor calórico e baixo valor nutricional. Apesar de a experiência ter durado somente duas semanas, o impacto da troca de alimentação foi visível. Os americanos foram beneficiados com menos inflamações no intestino, enquanto os africanos passaram a apresentar mais problemas intestinais. Especialistas alertam que não é possível tirar conclusões mais firmes com base em um estudo pequeno. No entanto, as descobertas aumentam a crença de que a junk food ocidental faz mal à saúde. No estudo, os voluntários africanos consumiram a dieta típica de junk food, hambúrguer e batata frita, enquanto os voluntários americanos consumiram variados tipos de feijões e leguminosas. Todos os participantes fizeram exames médicos antes e depois da mudança de dieta. A troca de dieta parece ter causado mudanças significativas nas células que cobrem o intestino e também mudanças nas bactérias que povoam o intestino. As mudanças para melhor ocorreram entre os voluntários americanos. “Em apenas duas semanas, uma mudança na dieta, de uma composição ocidentalizada para uma dieta tradicional africana rica em fibras e com pouca gordura, reduziu estes biomarcadores (que indicam) risco de câner, indicando que provavelmente nunca é tarde para mudar o risco de câncer no cólon", afirmou Stephen O'Keefe, o pesquisador que liderou a pesquisa da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Bahia noticias 
Postar um comentário